Merecer a Felicidade

“Não mereço ser feliz”,
“Não mereço que me acontecem determinadas coisas na minha vida”,
“Não mereço que a vida me corra bem ”
“Não mereço…”,
Ouço-o tantas vezes…

Mas não merece porquê?

O que nos faz acreditar que não somos dignos de amor e de felicidade?
O que trazemos dentro de nós, que nos faz pensar que não temos o direito à felicidade?
Serão aqueles que interpretamos como os nossos erros ao longo da vida que nos tiram o merecimento de amor e de felicidade?
Será tudo aquilo que já fizemos e que julgamos como mal feito que nos faz achar que a felicidade será sempre um assunto para outros e não para nós, porque nos portámos mal, e portanto esse direito nos é renegado?
Estou certa que todas estas crenças vivem naqueles que acreditam que não merecem ser felizes. No entanto, tal como tantas outras crenças, também estas não estarão corretas, porque caso estivessem, não haveria ninguém feliz no mundo, porque não há vida sem experiências (boas e más), e vamos vivendo cada uma delas da melhor forma que sabemos e podemos.
Será a cultura da culpa e do julgamento constante que nos permeia com essa crença de que somos más pessoas, que não merecem ser felizes? Estou certa que sim.
Estou certa que todos temos o direito de ser feliz, que todos temos aquilo que precisamos para o ser, dentro de nós, basta olhar e cuidar, independente dos “erros”.
Errar, quem não errou?
Erros maiores, erros menores, mas todos erramos, sendo o maior e menor medido desde já pelo julgamento que fazemos às situações.
Não acredito em más pessoas, acredito que há pessoas que sofrem e nesse sofrimento posso inflingir a outros experiências menos agradáveis, mas no fundo, essas mesmas experiências não retiram o merecimento da felicidade e de um caminho de conhecimento e amor.

Estará na altura de percebemos o que condiciona esta ideia de merecimento, porque todos merecemos ser felizes, só precisamos de nos permitimos a sê-lo.
Se alguém nos disser que não merecemos ser felizes, talvez essa mesma pessoa esteja a projectar em nós, uma dificuldade e um sofrimento dela.

Assumamos a responsabilidade das nossas experiências e aprendamos algo sobre nós e o mundo com elas, mas assumamos também a responsabilidade de ser felizes com todos as experiências vividas, e aprendamos simplesmente algo mais sobre nós e o mundo.

Diana

Fotografia | Ana Tobias

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: